sexta-feira, abril 09, 2010


Perdoe-me
Perdoe-me a insensatez
A indiferença,
Um desejo contido.
Palavras cruzadas
Em meio ao tiroteio
Incessante de meus pensamentos.
Perdoe-me se esperei demais
E se fui incapaz...
De compreender
O que o seu coração sente,
Incapaz de compreender
O que o meu coração faz...

Tatiana Monteiro Costa

2 comentários:

Helinha disse...

Minha amiga e irmanzinha Tati...

Tão talentosa e tão querida!

O que me consola é que em todas as vezes que eu tive oportunidade, eu disse a ela o quanto a amava e o quanto ela era (e é!) importante para mim!

Numa das últimas vezes em que conversamos, eu havia ficado bloqueada no Twitter e entrei com meu perfil número 2... Ela, logo depois, ficou bloqueada também e entrou com seu perfil 2 também... O nosso amigo LF perguntou se havíamos combinado de levar block juntas e ela disse: "Eu nunca deixaria a minha tatuamora sozinha"...

Eu sei que ela nunca deixaria mesmo, ela só foi voar mais alto... E um dia eu vou me encontrar com ela e voaremos juntas...

Que lindo o poema que você escolheu, Sheilla... Lindo mesmo, como sua sobrinha era e é!

Beijos!

Fernanda disse...

Saudades desse sorriso...